Regula – Momma Lyrics

Momma Lyrics – Regula

Shots cá fora (uh-huh) na hora da colheita
Vou ser sincero, mas eu não quero
Qualquer homem pode ir p’á deita (Que medo)
Tive que dizer na cota que um gajo é badman
Cota, me aceita (Mãe)
Cota, me aceita (Uh-huh)
Shots na prega (uh-huh) na hora da colheita
Vou ser sincero, mas eu não quero
Qualquer borra botas pode ir p’á deita (Que medo)
Tive que dizer na cota que um gajo vende quartitxas
Cota, me aceita (Uh-huh)
(Oh my god) Cota, me aceita (Uh-huh)

Pacotes na prega (Keys, keys, keys)
We got the city locked
Muchas e quartas, caso não saibas
Eu sou o que mais a city bate
Já não molho o cú aos anos
Mas o parro se eu estiver de carro a passar por eles
Still diddy-bop (Diddy-bop)
Um dia destes dá-me um piripaque
Porque um diz: “mata”, o outro: “esfola”
Muita paca, pouca esmola (Yes)
Seja velha ou seja nova, eu não andei na vossa escola
(Num big wheel, big steel) Deixa qualquer moço em pânico
Sempre acordei com grandes peles (Ui)
E pequeno almoço britânico com as

Shots cá fora (uh-huh) na hora da colheita
Vou ser sincero, mas eu não quero
Qualquer homem pode ir p’á deita (Que medo)
Tive que dizer na cota que um gajo é badman
Cota, me aceita (Mãe)
Cota, me aceita (Uh-huh)
Shots na prega (uh-huh) na hora da colheita
Vou ser sincero, mas eu não quero
Qualquer borra botas pode ir p’á deita (Que medo)
Tive que dizer na cota que um gajo vende quartitxas
Cota, me aceita (Uh-huh)
(Sorry, momma) Cota, me aceita (Uh-huh)

Mas vossa excelência só tem a tendência
P’a tudo aquilo que lhe faz mal (Ya)
Eu não ‘tou a cantar de galo (Nah)
Eu até sou um gajo calmo
Muita vista (huh?) futurista, no teu Insta tens motorista
Mas na real tu ‘tás c’as patolas (‘Tás)
E com um escaldão de turista (Woo)
No meu bairro as cinderelas todas só gostam dos índios (Só)
E os qel homens que dão uso às—
Eles não as mostram nos videos (Que medo)
Nós eramos chavalos na curva (Ya)
Qualquer um de nós tinha white ou cavalo na blusa
A tentar passar nos intervalos da chuva
E também tínhamos as

Shots cá fora (uh-huh) na hora da colheita
Vou ser sincero, mas eu não quero
Qualquer homem pode ir p’á deita (Que medo)
Tive que dizer na cota que um gajo é badman
Cota, me aceita (Deus me perdoe)
(Mãe) Cota, me aceita (Uh-huh)
Shots na prega (uh-huh) na hora da colheita
Vou ser sincero, mas eu não quero
Qualquer borra botas pode ir p’á deita (Que— chora)
Tive que dizer na cota que um gajo vende quartitxas
Cota, me aceita (Uh-huh)
(Mãe) Cota, me aceita (Uh-huh)
Sorry, momma (Mãe)